Bangcoc - A Polícia da Tailândia impede nesta sexta-feira que ativistas da opositora Aliança Popular para a Democracia (PAD) cheguem à sede do governo do país, após 26 dias de manifestações para exigir a renúncia do primeiro-ministro Samak Sundaravej.

Armados com jatos de água e gás lacrimogêneo, cerca de 8 mil agentes, mais que o dobro do habitual, esperam os 14 mil manifestantes que devem comparecer ao protesto convocado pelo PAD.

O chefe da Polícia de Bangcoc, o tenente-general Aswin Kwanmuang, pediu aos dirigentes do partido que suspendam a marcha, e lembrou que não poderá ocorrer fora do traçado autorizado, delimitado com barricadas desde 25 de maio.

No entanto, o PAD deseja cumprir seu plano original, de realizar o protesto diante do escritório do primeiro-ministro, atitude qualificada ontem de "golpista" pelo Executivo.

Leia mais sobre: Tailândia

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.