Por Alexandria Sage SAN FRANCISCO (Reuters) - A polícia da Califórnia pediu desculpas nesta sexta-feira por ter deixado de investigar uma pista anônima recebida em 2006 que poderia tê-la levado a encontrar uma mulher sequestrada que passou 18 anos escondida no quintal dos fundos da casa de um estuprador condenado.

Jaycee Dugard tinha 11 anos de idade quando foi sequestrada de sua casa em South Lake Tahoe, em 1991, e uma investigação revelou esta semana que ela passou a maior parte das duas últimas décadas vivendo em tendas e barracos sujos no quintal de Phillip Garrido, de 58 anos, acusado de seu sequestro.

Dugard, que está com 29 anos, foi encontrada esta semana depois que o oficial responsável pela condicional de Garrido desconfiou dele, fato que levou a uma revista de sua casa no subúrbio de Bay Area, em Antioch, a cerca de 160 quilômetros de distância de onde ela foi sequestrada.

O xerife de Contra Costa, Warren Rupf, pediu desculpas por não ter investigado suficientemente depois de uma vizinha de Garrido ter ligado para a polícia em 2006 para dizer que ele era um "psicótico" com vícios sexuais.

Quando um policial foi à casa para investigar a queixa, ele falou com Garrido no jardim da frente da casa, avisando a ele que havia restrições a viver fora de uma zona residencial, disse Rupf.

"Ele não entrou nem pediu para entrar no quintal dos fundos", disse Rupf a jornalistas, acrescentando que o policial não sabia que Garrido era criminoso sexual cadastrado, embora seu nome constasse como tal num banco de dados público.

"Não foi uma ação aceitável", disse Rupf. "Em termos organizacionais, deveríamos ter sido mais curiosos, deveríamos ter fuçado mais."

Garrido, de 58 anos, cumpriu pena de prisão nos anos 1970 por estupro e sequestro. Ele é acusado de ter capturado Dugard na rua quando ela caminhava para um ponto de ônibus, em 1991.

Ele e sua mulher, Nancy, de 55 anos, estão presos e compareceriam diante do tribunal pela primeira vez na sexta-feira.

As autoridades dizem que Garrido manteve Dugard e as duas filhas que teve com ela no quintal da casa que dividia com sua mulher. O quintal era cercado por lonas e árvores altas, dificultando para quem estava fora enxergar seu interior.

Dugard foi encontrada esta semana quando acompanhou Garrido a uma reunião com o oficial de condicional.

O aparecimento de Dugard e suas filhas de 11 e 15 anos, nenhuma das quais o oficial conhecera antes, causou desconfiança, e Dugard foi salva pouco depois.

As desconfianças tinham começado no dia anterior, quando Garrido foi visto no campus da Universidade da Califórnia, em Berkeley, distribuindo panfletos na companhia das duas crianças.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.