Cairo, 24 fev (EFE).- A Polícia de Dubai anunciou hoje que identificou 15 novos suspeitos do assassinato de Mahmoud al-Mabhouh, líder do grupo palestino Hamas encontrado morto em 20 de janeiro em um hotel do emirado.

Segundo um comunicado da Polícia, três dos novos supostos assassinos têm passaportes da Irlanda, três da França, seis do Reino Unido e três da Austrália.

Além disso, entre eles há cinco mulheres com passaportes dessas nacionalidades.

A Polícia de Dubai recebeu confirmações dos países de onde procedem os supostos assassinos sobre a autenticidade dos passaportes, acrescentou o comunicado.

Com este anúncio, sobe para 26 o número de pessoas identificadas pelas autoridades de Dubai, que supostamente participaram da morte de al-Mabhouh, um dos fundadores das Brigadas Izz ad-Din al-Qassam, braço armado do Hamas.

O comunicado publica fotografias dos supostos assassinos, que viajaram para Dubai procedentes de seis cidades europeias e de Hong Kong, e os nomes dos bancos que usaram para tirar dinheiro com cartões de crédito quando estiveram no emirado.

O texto acrescenta que 14 suspeitos usaram o mesmo cartão de crédito, enquanto outros efetuaram pagamentos em dinheiro para fazer reservas de hotéis e comprar passagens aéreas.

Os supostos assassinos demoraram 20 minutos para matar al-Mabhouh, segundo a nota. A mensagem acrescenta que, após cometer o crime, foram para diversos destinos como África do Sul, Irã e Hong Kong.

Os suspeitos tinham diversas tarefas encomendadas. Enquanto alguns se encarregaram de matar al-Mabhouh, outros vigiaram o aeroporto e o hotel onde foi cometido o crime. EFE mys/sa

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.