França detém 10 suspeitos em nova operação contra terrorismo islâmico

De acordo com autoridades, detidos faziam ameaças de violência em sites islâmicos e buscavam treinamento no exterior

iG São Paulo |

Dez suspeitos foram detidos nesta quarta-feira em uma nova operação contra radicais islâmicos na França. O governo do país intensificou as investigações sobre atividades terroristas após os ataques assumidos pelo franco-argelino Mohamed Merah contra uma escola judaica e militares.

AFP
Polícia francesa prende suspeito de fazer parte de grupo terrorista

De acordo com uma autoridade francesa, as detenções desta terça-feira são parte de uma investigação preliminar aberta na segunda-feira. Os detidos são suspeitos de envolvimento com sites islâmicos que fazem ameaças de violência online.

A operação aconteceu em cinco cidades, a maioria no sul da França. Alguns dos detidos são acusados de participar ou tentar participar de treinamentos fundamentalistas no Paquistão e no Afeganistão.

Na semana passada, outra ação similar deteve 19 suspeitos. Na terça-feira, 13 deles foram acusados formalmente de terrorismo. Nove estão presos.

Leia também: Extremistas islâmicos detidos planejavam ataques na França

De acordo com os investigadores, os detidos incluem membros do grupo Forsane Alizza, entre eles o líder Mohamed Achamlane, que preparava ações violentas na França, em particular o sequestro do juiz de Lyon Albert Lévy, que se ocupara da instrução de um membro da organização.

Os detidos tinham em seu poder dez armas (incluindo três Kalashnikov). Além disso, as investigações apontaram que eles consultavam sites que ensinam como fabricar explosivos.

Em um site próprio, eles reivindicavam "a criação de um califado" na França para aplicar a sharia (a lei islâmica), usando como justificativa a jihad (guerra santa) para se preparar para "uma guerra civil".

A vigilância física e telefônica dos principais dirigentes, em particular Mohammed Achamlane, chamado por todos de "o emir", mostrou que contavam com uma rede de responsáveis em diferentes cidades da França, como Paris, Lyon, Nantes, Marselha e Nice.

Eles se reuniam semanalmente, organizavam treinamentos físicos em parques e florestas de Paris e nos arredores, assim como sessões de doutrinamento.

Com AP e EFE

    Leia tudo sobre: françatoulouseescola judaicamuçulmanosterrorismo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG