O ex-diretor do FMI renunciou em 2011 após ser acusado de abuso sexual a uma camareira de um hotel em Nova York

selo

Strauss-Kahn, em foto de arquivo
AFP
Strauss-Kahn, em foto de arquivo
O ex-diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Dominique Strauss-Kahn, será interrogado na terça-feira pela polícia francesa, que investiga uma possível rede de prostituição de luxo.

Leia também: Ex-diretor do FMI se declara inocente de acusações de crimes sexual

As investigações são conduzidas pela polícia da cidade de Lille, no norte da França, juntamente a unidades da polícia belga e outras autoridades.

Policiais interrogaram prostituas que disseram ter mantido relações sexuais com Strauss-Kahn durante os anos de 2010 e 2011 em um hotel de luxo em Paris, em um restaurante na capital francesa e também na cidade de Washington, nos Estados Unidos. Strauss-Kahn viveu na capital norte-americana enquanto era diretor-gerente do FMI.

Ele renunciou ao cargo em maio do ano passado. Dois homens ligados a Strauss-Kahn vêm sendo investigados preliminarmente na França, sob acusações que incluem organizar a rede de prostituição e fazer uso indevido de fundos corporativos. As informações são da Associated Press.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.