Polícia filipina apreende centenas de componentes para produzir bombas

Manila, 9 abr (EFE).- A Polícia apreendeu centenas de componentes para fabricar bombas no norte das Filipinas, em um armazém oculto de supostos terroristas, informaram hoje fontes oficiais.

EFE |

O ministro do Interior filipino, Ronaldo Puno, afirmou aos jornalistas que a Polícia realizou uma operação na província de Laguna para prender Khalid Pagayao, ao qual vinculam à organização extremista Jemaah Islamiya, considerada o braço da Al Qaeda no Sudeste Asiático.

Pagayao, a quem as autoridades acusam de ter planejado ataques contra embaixadas de países ocidentais em Manila, conseguiu fugir a tempo, mas os agentes descobriram em sua casa 550 detonadores e grande quantidade do explosivo Tetryl, similar à dinamite.

O diretor da Polícia, Avelino Razón, disse que o suspeito foi localizado graças a vários documentos interceptados que detalhavam um plano para explodir legações diplomáticas da Austrália, dos Estados Unidos, de Israel e do Reino Unido.

No entanto, fontes oficiais de várias embaixadas de países europeus disseram à Agência Efe que não tinham constância desta ameaça.

Há dois dias as autoridades deportaram os cidadãos jordanianos Khalil Al-Ali e Walid Abu Aisheh, também envolvidos no mesmo plano, mas que finalmente não puderam ser processados por falta de provas.

Membros da Jemaah Islamiya se escondem há anos nas selvas do sul das Filipinas, onde são apoiados por seus parceiros da Abu Sayyaf, ramo local da Al Qaeda. EFE csm/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG