Publicidade
Publicidade - Super banner
Mundo
enhanced by Google
 

Polícia Federal investigará vazamento de dados do Palácio do Planalto

Brasília, 7 abr (EFE).- A Polícia Federal investigará o vazamento para a imprensa de informações pessoais do Palácio do Planalto sobre despesas do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, informaram hoje fontes oficiais.

EFE |

Segundo a Polícia Federal, a investigação será aberta a pedido da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, de cujo gabinete saíram as informações que detalham despesas feitas por FHC, pela ex-primeira-dama Ruth Cardoso e por outros funcionários com cartões corporativos durante seu segundo mandato presidencial (1999-2002).

A oposição acusa Dilma de ter elaborado um "dossiê" com estas despesas para pressionar os adversários do Governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e impedir uma investigação sobre supostas irregularidades no uso dos cartões.

Dilma nega a acusação e afirma que seu gabinete estava apenas informatizando os dados quando parte deles vazou para a imprensa de forma criminosa, segundo ela mesma afirmou.

A ministra também reconheceu que a informação saiu de seu escritório e, por isto, ordenou uma investigação interna, que a partir de hoje ficará a cargo da Polícia Federal.

Os cartões de crédito corporativos estão no centro de um escândalo iniciado em janeiro, quando a Controladoria-Geral da União (CGU) revelou que a despesa com eles aumentou 127% em 2007 em relação ao ano anterior, até alcançar R$ 75 milhões.

Por causa disto, a então ministra da Igualdade Racial, Matilde Ribeiro, que admitiu ter usado o cartão para alugar carros e fazer comprar em um free shop, renunciou ao cargo no início de fevereiro.

Uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) foi criada para investigar o caso, mas a oposição afirma que a CPI é dominada pelo Governo, que até agora bloqueou todas as possibilidades de analisar as despesas de Lula e de seus parentes mais próximos, por considerá-los de caráter reservado.

Segundo a oposição, as informações sobre os supostos gastos irregulares de FHC e de sua mulher foram entregues à imprensa com a intenção de intimidar os adversários do Governo e pressionar para que a investigação não chegue perto de Lula.

Nesta semana, a CPI ouvirá Matilde e os ministros dos Esportes, Orlando Silva, e da Pesca, Altemir Gregolin, acusados de abusos em seus gastos com cartões corporativos. EFE ed/wr/fal

Leia tudo sobre: iG

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG