Polícia faz buscas na casa do médico de Michael Jackson

Policiais e agentes da DEA, a agência antidrogas americana, realizaram nesta terça-feira uma operação de buscas na casa de Conrad Murray, médico de Michael Jackson, em Las Vegas. Murray estava na casa do cantor e tentou ressuscitá-lo antes da morte de Jackson, que sofreu uma parada cardíaca no dia 25 de junho.

BBC Brasil |

A operação desta terça-feira ocorreu quase uma semana depois de uma busca semelhante na clínica de Murray em Houston, no Estado americano do Texas, na qual a polícia apreendeu vários objetos.

Na operação em Houston, os policiais usaram um mandado de busca que afirmava que as autoridades procuravam "objetos que são provas de homicídio culposo, que tendem a mostrar que Conrad Murray cometeu este crime".

Entre os objetos apreendidos na busca da última quarta-feira estavam dois discos rígidos, computadores, cartas e e-mails de ex-empregados e documentos relacionados com a prática da medicina.

Os agentes teriam recolhido ainda 27 comprimidos de um medicamento para emagrecimento e um tablete de relaxante muscular.

Imprensa
De acordo com o correspondente da BBC em Los Angeles Peter Bowes, informações divulgadas pela imprensa americana indicam que Murray deu ao cantor um analgésico forte.

Reagindo a isso, o advogado de Murray, Edward Chernoff, disse que não comentaria boatos, insinuações ou informações de fontes não identificadas.

Os paramédicos foram chamados até a mansão de Michael Jackson em Los Angeles no dia 25 de junho enquanto Murray fazia massagem cardíaca, de acordo com uma gravação de uma ligação telefônica para o serviço de emergência.

Pouco depois da morte do cantor, Chernoff negou que Murray tivesse receitado ou administrado qualquer medicamento que possa ter contribuído para a morte do cantor.

Ainda não foram divulgados os resultados de uma análise de toxicologia sobre a morte do cantor. Essa análise é considera crucial para definir a causa da morte de Jackson.

O Instituto Médico Legal de Los Angeles indicou que os exames oficiais de toxicologia, pedidos depois dos exames no corpo de Michael Jackson, poderão ser divulgados ainda nesta semana.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG