Polícia espanhola investiga morte de brasileira que caiu da janela

A brasileira Giselle R.L., 27 anos, morreu na terça-feira, na Espanha, depois de cair pela janela do segundo andar do apartamento onde morava na cidade de Fraga, no nordeste do país.

BBC Brasil |

O laudo da polícia indica que a queda teria acontecido na madrugada da segunda-feira. A brasileira foi levada a um hospital de Lérida, onde faleceu na manhã da terça-feira.

A polícia espanhola ouviu o depoimento de uma vizinha, que disse ter ouvido uma discussão na noite do incidente e que Giselle teria gritado por socorro pouco antes de cair pela janela.

O namorado da brasileira, o espanhol J.C.G, de 28 anos, foi preso, suspeito de assassinato. Ele já tinha queixas policiais por agressão a mulheres, mas não tinha sido denunciado pela brasileira.

Em um depoimento à polícia na quarta-feira, ele admitiu que os dois teriam discutido na noite do incidente e que ele era a única pessoa em casa além da brasileira. No entanto, ele negou ter jogado a namorada pela janela.

A polícia ouviu depoimentos de vizinhos que afimaram que as brigas e gritos eram freqüentes no apartamento da Rua Isaac Albéniz, onde o casal morava há menos de um ano.

Autópsia

O Tribunal Superior de Justiça de Aragón (a província de município de Fraga) aguarda os resultados da autópsia. Em um comunicado, as autoridades afirmaram que as investigações irão continuar.

As investigações iniciais da polícia indicam que Giselle teria sido vítima de um crime de violência contra mulher. A Justiça considera a hipótese de homicídio, mas não descarta a possibilidade de suicídio ou acidente. Por isso, o namorado da brasileira vai continuar preso até a conclusão da perícia.

O prefeito da cidade de Fraga, José Luis Moret, disse através de um comunicado à imprensa que "lamenta a desgraça" e que seu gabinete estará a disposição da família da brasileira para ajudar no que for preciso.

O resultado da autópsia, sem data prevista, também é necessário para a liberação do corpo de Giselle. O consulado brasileiro em Barcelona só pode emitir a documentação de saída do país, para repatriação do corpo, quando o cadáver for liberado pela Justiça espanhola.

Machismo

Caso a Justiça confirme a hipótese da polícia, Giselle será a quarta vítima brasileira de agressão masculina na Espanha em oito meses.

No entanto, seu caso seria o primeiro no qual o acusado é um espanhol. Os outros crimes desta espécie envolvendo brasileiras foram cometidos por namorados ou maridos também brasileiros e que confessaram os assassinatos. Nos casos registrados pela imprensa espanhola, todas as vítimas brasileiras tinham menos de 30 anos.

A agressão contra mulheres é freqüente na Espanha. Dados do Ministério do Interior indicam que, apenas no ano passado, 84 vítimas foram assassinadas por namorados ou maridos no país, das quais 29% seriam estrangeiras.

O problema será uma das prioridades do novo governo socialista. Em um discurso no Parlamento, o recém eleito primeiro-ministro, José Luis Rodríguez Zapatero, disse que "não se pode tolerar que a cada semana morra uma mulher por violência machista".

Estatísticas da ONG Rede Estatal de Organizações Feministas Contra a Violência de Gênero indicam que nos quatro primeiros meses de 2008 já foram registradas 34 mortes por crimes desta espécie, duas delas nesta quinta-feira.

Leia mais sobre Espanha

    Leia tudo sobre: bbcespanha

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG