Polícia espanhola encontra mais uma bomba em Mallorca

A polícia espanhola encontrou uma segunda bomba em um veículo na Ilha de Mallorca na tarde desta quinta-feira, horas depois da explosão de um artefato que matou dois policiais nas proximidades de um quartel na mesma cidade.

BBC Brasil |


Carro ficou destruído após explosão nesta quinta-feira / Reuters


O novo explosivo foi encontrado em um carro estacionado perto do quartel da Guarda Civil na cidade de Palmanova e foi desativado pela polícia.

Em entrevista ao jornal espanhol El País, o delegado Ramon Socías afirmou que os dois policiais que morreram estavam dentro de uma viatura que explodiu. A polícia trabalha com a hipótese de que o dispositivo estava escondido no carro e teria sido acionado remotamente.

As autoridades espanholas atribuem a explosão ao grupo separatista basco ETA. No entanto, até o momento nenhum grupo reivindicou a autoria do atentado.

Busca

AP
Explosão ocorreu em zona movimentada
Explosão foi em zona movimentada
A explosão ocorreu pouco antes das 14h (9h no horário de Brasília) em uma zona movimentada, com estabelecimentos comerciais e a 500 metros de uma praia muito frequentada por turistas estrangeiros.

A poucos quilômetros do local, fica o Palácio de Marivent, residência de veraneio da família real espanhola. O rei Juan Carlos e a rainha Sofía não estavam no local, mas chegada deles estava programada para o próximo fim de semana.

Uma grande operação de busca pelos autores do atentado foi colocada em curso. Portos e marinas foram fechados temporariamente como parte da chamada "Operação Jaula", com o objetivo de impedir que os autores do atentado deixassem a região.

O aeroporto de Sant Joan também chegou a ficar fechado por cerca de duas horas, mas foi reaberto pelas autoridades. Turistas em hotéis nas proximidades do local do incidente foram impedidos de deixar seus quartos até que a polícia pudesse realizar vistorias, informou a rede de televisão espanhola TVE.

O atentado ocorreu apenas um dia depois de a explosão de um carro-bomba deixar 66 feridos na cidade histórica de Burgos, no norte do país. O incidente - que não teve vítimas fatais - também foi atribuído pelas autoridades ao ETA.

O ETA, que é responsabilizado por mais de 800 mortes durante décadas de luta pela independência do País Basco, comemora na próxima sexta-feira o 50° aniversário de sua fundação.

O governo brasileiro divulgou uma nota em que afirma tomar conhecimento dos atentados em Burgos e Mallorca "com grande pesar".

"Ao manifestar suas mais sinceras condolências e solidarizar-se com os familiares das vítimas, o governo brasileiro reitera seu profundo repúdio a todas as formas de terrorismo", diz a nota divulgada pelo Itamaraty.

Leia mais sobre Espanha

    Leia tudo sobre: espanhaetaexplosão

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG