Polícia espanhola detém seis por exploração de sul-americanas

SEVILHA - A polícia espanhola deteve seis pessoas acusadas de tráfico de mulheres sul-americanas para exploração sexual no município de Bormujos, em Sevilha.

EFE |

Os detidos, cinco mulheres e um homem, são acusados de falsificar documentos, prostituição, favorecimento da imigração ilegal com fins sexuais e estadia irregular, informa a polícia, em comunicado.

Entre os detidos, há três mulheres venezuelanas, um homem e uma mulher espanhóis, e uma mulher brasileira.

Os detidos levavam as vítimas à Espanha falsificando as cartas de convite a estrangeiros, um documento que só pode ser expedido pela polícia.

As investigações começaram em junho quando, no aeroporto de Barajas, em Madri, três venezuelanas foram barradas ao se comprovar que as cartas com as quais justificavam a hospedagem na casa da "madrinha" eram falsas.

Os detidos são a "madrinha" venezuelana N.G.R.J., de 49 anos e com três detenções anteriores, J.G.L., espanhola de 28 anos, sem antecedentes; L.L.D.C., brasileira de 29 anos e com uma detenção anterior; A.G.S., venezuelana de 41 anos e sem antecedentes; E.C.G.S., venezuelana de 34 anos e sem antecedentes, e J.A.G., espanhol de 24 anos e com uma detenção anterior.

Leia mais sobre exploração sexual

    Leia tudo sobre: espanhaexploração sexual

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG