Múrcia (Espanha), 13 nov (EFE).- A Polícia espanhola deteve empresário e 40 mulheres imigrantes subsaarianas e sul-americanas em situação irregular que trabalhavam ilegalmente para uma cooperativa de fruta em Múrcia, no leste da Espanha.

Segundo informações de hoje, o Governo regional de Múrcia, os imigrantes trabalhavam ilegalmente embalando uva em uma cooperativa de manipulação de frutas com sede em Alhama de Múrcia.

Dentro desta mesma operação, também foram detidos três homens de nacionalidade romena acusados de vários crimes.

As mulheres detidas já enfrentam um expediente de expulsão a seus países de origem, por infração à Lei de Estrangeiros. EFE eg/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.