Polícia espanhola descobre plano de fuga de membros da ETA presos

Madri - A organização terrorista espanhola ETA estava elaborando um plano de fuga para vários dos membros do grupo detidos na prisão de Huelva, Andaluzia, sul da Espanha, informaram hoje à Agência Efe fontes da investigação, segundo as quais há seis detentos e presos dentro de várias penitenciárias.

EFE |

Fontes próximas à prisão de Huelva explicaram que, no marco de uma operação policial dirigida pelo juiz da Audiência Nacional Fernando Grande-Marlaska, a namorada do integrante da organização Gorka García Sertutxa foi detida em Huelva quando ia visitá-lo na cadeia.

A Guarda Civil procura indícios após a descoberta do plano de fuga, entre eles de García Sertutxa, condenado a 109 anos por tentar matar o rei Juan Carlos e cuja cela foi revistada, segundo as fontes.

Arkaitz Goikoetxea Basabe também estaria relacionado com a tentativa de fuga de García Sertutxa e de Igor Solana Matarrán, ex-integrante do "comando Andaluzia".

Basabe faz parte do "comando Vizcaya", um dos grupos que se mostrou disposto a colaborar com os planos de alguns presos da ETA em 2007.

Outras fontes da luta antiterrorista explicaran que em Bilbao, País Basco, norte, foi detido o advogado Iñaki Goyoaga, enquanto em Getxo, também nesta região, foi revistada a casa do integrante da organização.

As autoridades também detiveram Inge Urrutia, a namorada de Asier Borrero, um integrante da ETA que está foragido.

    Leia tudo sobre: eta

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG