Polícia enfrenta tumultos de jovens na Grécia

Tumultos ocorreram em várias cidades da Grécia depois que a polícia matou a tiros um adolescente na capital Atenas. Segundo o correspondente da BBC na capital grega Malcolm Brabant os choques começaram logo depois da morte do jovem no bairro de Exarchia, famoso por ser palco de choques freqüentes entre a polícia e grupos de esquerda.

BBC Brasil |

Jovens atiraram bombas de gasolina, queimaram carros e quebraram janelas de lojas.

De acordo com Brabant os responsáveis pelo tumulto em Atenas atearam fogo a bancos e lojas no principal bairro comercial da cidade. Um prédio de quatro andares também foi incendiado e muitos carros destruídos.

Dois policiais foram suspensos e um inquérito já foi aberto. Não há informações de feridos entre os policiais ou entre os manifestantes.

O ministro do Interior, Prokopis Pavlopoulos, informou que o governo "lamenta profundamente" a morte do adolescente, que teria 16 anos.

"Um inquérito a respeito da morte já começou e, se for descoberto que os policiais foram negligentes em serviço, a punição será exemplar", afirmou.

O ministro teria oferecido sua renúncia que não foi aceita pelo gabinete do primeiro-ministro.

Os tumultos então se espalharam para as cidades de Salônica, a segunda maior da Grécia, para as cidades de Komotini e Ioannina no norte, e para Creta.

Fortaleza

Brabant afirma que os anarquistas gregos consideram o bairro de Exarchia como sua fortaleza e freqüentemente atraem a polícia para emboscadas, para ataques com bombas caseiras e pedras.

O Ministério do Interior afirmou que um grupo de 30 jovens cercou um carro da polícia e apedrejou o veículo.

Um deles tentou atirar uma bomba de gasolina e um policial disparou três vezes, acertando o jovem no peito.

A polícia disparou gás lacrimogêneo contra centenas de jovens que iniciaram o tumulto depois que a notícia da morte se espalhou. Manifestantes chegaram ao centro da capital grega e outros enfrentaram a polícia em frente à Universidade Nacional Técnica de Atenas.

Segundo testemunhas bancos e lojas de roupas foram danificados, mas vários bares escaparam intactos dos tumultos. Apesar dos danos serem grandes, não há relatos de saques às lojas.

Durante a madrugada equipes de emergência tentavam apagar os incêndios enquanto muitos jovens se retiravam para a Politécnica de Atenas.

Em Salônica dezenas de jovens atacaram uma delegacia de polícia enquanto outros bloqueavam uma rua perto do campus da universidade local.

As pessoas estariam sendo encorajadas a se juntarem aos protestos por meio de algumas páginas na internet.

Violência

Na semana passada ocorreram choques em Atenas entre a polícia e estudantes, quando cerca de 4 mil pessoas participaram de uma manifestação contra uma proposta de reforma na educação.

A polícia prendeu 12 pessoas depois que um grupo de manifestantes violentos se separou do protesto e quebrou fachadas de bancos e lojas.

De acordo com Malcolm Brabant o último episódio no bairro de Exarchia deve aumentar os choques entre a polícia e os anarquistas.

Em 1985 um episódio semelhante deu origem a anos de violência no bairro.

E, no meio da violência, estão os moradores de Exarchia. Nas últimas semanas eles protestaram contra o aumento nos crimes e reclamam que a polícia freqüentemente não responde a chamados de emergência e permanece apenas nas delegacias.

Depois da morte do jovem, policiais uniformizados ficarão ainda mais tensos, trabalhando num bairro que freqüentemente é mais parecido com uma zona de guerra, diz o correspondente.

Leia mais sobre: Grécia 

    Leia tudo sobre: grécia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG