Polícia em Copenhague detém mais 200 em nova passeata

Pelo menos 200 pessoas foram detidas em Copenhague neste domingo ao tentarem organizar uma marcha pedindo ações para conter as mudanças climáticas. Segundo a polícia, a manifestação era ilegal.

BBC Brasil |

As últimas prisões ocorrem quando a polícia dinamarquesa está sendo criticada por grupos de defesa do meio-ambiente por usar o que chamaram de "táticas linha-dura" ao deter 968 pessoas durante uma passeata no sábado.

Mel Evans, da organização Climate Justice Action disse à BBC que os manifestantes detidos foram mantidos durante horas no frio, sem atendimento médico, água ou acesso a banheiros.

A diretora do World Development Movemento, Deborah Doane, condenou as autoridades pelo que chamou de "completa violação do direito de protesto e um passo na direção da quebra da democracia".

Em um comunicado divulgado à imprensa neste domingo, a polícia disse que o grande número de presos "colocou uma enorme pressão" sobre os policiais responsáveis por transportá-los, recebê-los e registrá-los.

"Isso significa que um grande número de detidos teve que permanecer sentado nas calçadas até que chegasse o transporte", afirmou o comunicado. "A polícia de Copenhague vai avaliar se existe uma maneira mais rápida de transportar detidos no futuro."
Os policiais informaram ainda que quase todos os detidos no sábado já foram libertados.

Missa
Ainda neste domingo, líderes religiosos de várias partes do mundo se reuniram para uma missa em uma catedral de Copenhague, dedicada ao combate às mudanças climáticas.

A missa foi conduzida pelo arcebispo da Cantuária, Rowan Williams, e contou com a participação de nomes como o ganhador do prêmio Nobel da Paz arcebispo Desmond Tutu, da África do Sul.

Depois do serviço religioso, sinos tocaram 350 vezes para destacar a quantidade de gás carbônico na atmosfera que os cientistas consideram segura.

Enquanto isso, ministros do Meio-Ambiente de vários países começaram a chegar à capital dinamarquesa para a última semana da reunião da ONU sobre o clima.

Mais de 40 ministros já estão participando de conversas informais no prédio do Ministério das Relações Exteriores dinamarquês.

Documentos preparados por representantes dos países no encontro pedem para que as nações desenvolvidas cortem suas emissões de gases do efeito estufa entre 25% e 45% de seus níveis de 1990 até 2020.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG