Polícia egípcia liberta ativista após 5 dias em paradeiro desconhecido

Cairo, 11 fev (EFE).- As forças de segurança egípcias libertaram o ativista egípcio-alemão Philip Rizq, que estava em paradeiro desconhecido desde 6 de fevereiro, quando foi detido após participar de uma manifestação pacífica a favor da Faixa de Gaza.

EFE |

Ahmad el-Droubi, que estava com Rizq no momento do desaparecimento, disse à Agência Efe que tinha falado com ele após a libertação e este disse que estava bem, embora cansado.

Segundo Droubi, o ativista, e também fotógrafo e escritor, foi interrogado durante um longo período, que não pôde precisar, e não sofreu maus-tratos físicos durante a detenção.

Em todo o tempo que permaneceu retido pelas forças de segurança, a família não recebeu nenhuma comunicação sobre o paradeiro ou as razões da detenção, segundo fontes ligadas a Rizq.

Philip Rizq, de 26 anos, foi detido no último dia 6 pelas forças de segurança egípcias após participar, junto com outras 15 pessoas, de uma manifestação pacífica em solidariedade a Gaza.

Rizq e os outros manifestantes foram levados a uma delegacia da localidade de Abu Zaabal, ao norte do Cairo, sem ser formalmente acusados e sem receber nenhuma explicação, como relataram então à Efe participantes do protesto, do qual Rizq era o principal organizador.

Depois que o ativista entrou sozinho em uma das dependências da delegacia, desapareceu e só voltou a dar notícias na madrugada de hoje. EFE jfu/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG