Polícia do Zimbábue proíbe todas as manifestações políticas

Harare, 11 abr (EFE).- A Polícia do Zimbábue proibiu com efeito imediato todas as manifestações políticas no país, confirmou à Agência Efe o subcomissário geral de Polícia, Wayne Bvudzijena.

EFE |

"As eleições terminaram, já não há necessidade de manifestações", disse Bvudzijena, explicando que a medida foi tomada devido aos poucos recursos humanos da Polícia por causa do desdobramento de soldados no terreno, que ainda continua, por causa das eleições gerais do dia 29 de março.

Segundo Bvudzijena, os membros da Polícia ainda estão muito ocupados na salvaguarda das urnas de votação e desdobrados nas ruas para evitar eventuais explosões de violência pós-eleitoral.

O funcionário advertiu que a Polícia zimbabuana "cuidará de qualquer partido político que ignorar a proibição" de não se manifestar nas vias públicas.

Bvudzijena não mencionou, mas a proibição das manifestações foi anunciada pouco depois de o opositor Movimento para Mudança Democrática (MDC) ter convocado uma mobilização geral na próxima semana em protesto pela falta de informação sobre o resultado das eleições presidenciais.

A Comissão Eleitoral do Zimbábue não divulgou ainda os resultados das eleições, e a oposição recorreu aos tribunais para que a obrigue a apresentá-los.

O regime do presidente Robert Mugabe, no poder desde 1980, acredita que não houve um claro vencedor na votação, e já prevê um segundo turno.

Mas o MDC sustenta que seu líder, Morgan Tsvangirai, obteve 50,3% dos votos frente a 43,8% para Mugabe, o que torna desnecessária uma segunda ronda de votação. EFE sk/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG