Polícia do Nepal entra em confronto com exilados do Tibete

KATHMANDU (Reuters) - A polícia do Nepal deteve 760 exilados tibetanos durante protestos na quinta-feira em frente à embaixada da China, disseram autoridades e testemunhas. Centenas de manifestantes com casacos amarelos e bandanas com os dizeres Salve o Tibete ou Tibete Livre se reuniram em frente ao muro do escritório consular da embaixada chinesa em Kathmandu.

Reuters |

A polícia tentou bloquear os manifestantes, o que gerou tumulto. Testemunhas disseram que centenas de manifestantes foram levados embora em caminhões da polícia.

'Esta é uma manifestação pacífica', disse o exilado tibetano Dawa Tshering, 28 anos. 'Estamos lutando pela paz no Tibete.'

O Nepal considera o Tibete como parte da China, seu importante vizinho e parceiro comercial. A polícia local costuma reprimir com dureza os protestos antichineses dos últimos cinco meses.

As autoridades disseram que os manifestantes, que protestavam contra a repressão política da China no Tibete, seriam soltos ainda na quinta-feira.

Mais de 20 mil tibetanos vivem no Nepal. Milhares de pessoas fugiram do Tibete depois da frustrada rebelião de 1959 contra o regime chinês.

Na sexta-feira passada, as autoridades detiveram mais de 1.300 tibetanos que protestavam em Kathmandu na hora da cerimônia de abertura da Olimpíada de Pequim.

Na quinta-feira, a multidão ocupou os becos de Dharamsala, cidade no norte da Índia que é a sede do governo tibetano no exílio. 'Certamente haverá cada vez mais protestos durante a Olimpíada, e o movimento se fortalecerá', previu o exilado Tenzin Choeying.

(Reportagem de Gopal Sharma e Abhishek Madhukar em Dharamsala)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG