Polícia do México prende representante da Interpol no país

Um juiz no México ordenou a prisão do mais alto representante da Interpol (agência policial internacional) no país como parte de uma investigação sobre supostas ligações entre as autoridades e poderosos cartéis de narcotraficantes, denominada Operação Limpeza. Ricardo Gutiérrez Vargas foi colocado sob prisão domiciliar, onde pode ser mantido por até 40 dias enquanto as alegações contra ele são investigadas.

BBC Brasil |

O caso contra Gutiérrez Vargas foi levantado depois de informações obtidas pela promotoria com a prisão, em janeiro, de Alfredo Beltrán Leyva, um dos líderes do cartel de Sinaloa.

De acordo com o repórter da BBC Emílio San Pedro, a prisão de Vargas confirma o que muitos suspeitavam no país: que os cartéis, cada vez mais ricos, subornam e trabalham em conjunto com policiais em altos cargos para realizar suas atividades ilegais.

Os investigadores mexicanos acreditam que os cartéis podem ter pago a policiais propinas de até US$ 450 mil por mês em troca de informações que os ajudassem em suas atividades.

Os cartéis controlam um mercado interno lucrativo e levam drogas através da fronteira para os Estados Unidos - o maior mercado do mundo para narcóticos ilegais, estimado em US$ 14 bilhões por ano.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG