Teerã - Cerca de 500 pessoas foram presas, das quais 300 permanecem detidas, e 120 membros das forças de segurança ficaram feridos nos distúrbios de domingo em Teerã, afirmou nesta quarta-feira o chefe da Polícia iraniana, Ismail Ahmadi Moghadam. Os confrontos ocorreram durante a celebração da festividade xiita da Ashura.

Em declarações divulgadas pela agência oficial de notícias local "Irna", o oficial iraniano advertiu também que, a partir de agora, a Polícia atuará com todo o rigor contra os que provocam os distúrbios.

"Durante aquele dia (no domingo), foram detidas 500 pessoas e, após as investigações, alguns foram libertados. Cerca de 300 permanecem ainda detidos", explicou.

"Um total de 120 policiais ficou ferido, dos quais 60 ainda permanecem internados em hospitais. Entre eles, há um oficial de alta graduação (...). Dois veículos e várias motocicletas ficaram danificados", acrescentou.

Moghadam recomendou aos que protestam que se desvinculem dos que provocam distúrbios e reiterou que, a partir desta data, a ação das forças de segurança "será muito dura".

"Que estas pessoas saibam que a Polícia não vai ficar de braços cruzados. Vai utilizar todos os meios a seu alcance para enfrentar os que causam distúrbios. Por isso, os que protestam devem se desvincular deles", disse Moghadam, em uma declaração divulgada pela agência de notícias local "Mehr".

A oposição reformista iraniana retomou os protestos nas ruas no domingo, dia da festa religiosa xiita da Ashura, em um dia sangrento no qual, segundo números oficiais, pelo menos oito pessoas morreram.

Leia mais sobre: Irã

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.