Polícia dinamarquesa detém suspeito em casa de cartunista

Por John Acher COPENHAGUE (Reuters) - A polícia dinamarquesa afirmou neste sábado ter atirado e ferido um somali ligado à Al Qaeda quando ele tentou invadir a casa do cartunista cujas charges de Maomé em 2005 provocaram protestos muçulmanos em todo o mundo.

Reuters |

O homem de 28 anos, armado com uma faca e um machado, não conseguiu entrar na casa de Kurt Westergaard, na cidade de Aarhus, na noite de sexta-feira. Ele foi baleado na perna e na mão depois de atirar o machado num policial, segundo a polícia.

O homem, agora preso, tem "laços estreitos com a organização terrorista da Somália Al-Shabaab e também com líderes da Al-Qaeda no leste da África", disse em comunicado o serviço de inteligência e segurança dinamarquês.

Ele tem permissão legal para morar na Dinamarca e também é "suspeito de estar envolvido em atividades relacionadas com o terrorismo no leste da África", afirmou o comunicado.

O serviço de segurança declarou que o homem, que seria indiciado por tentar matar Westergaard e o policial, tinha envolvimento com uma "rede relacionada a terrorismo" que estava sob investigação por conta de ameaças ao cartunista.

O cartunista Westergaard, de 74 anos, não sofreu nenhum ferimento no incidente, declarou o porta-voz policial.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG