(acrescenta detenção de ativista britânico) Moscou, 16 mai (EFE).- A Polícia russa deteve hoje em Moscou 25 pessoas que tinham previsto realizar uma parada gay não autorizada, informou uma fonte policial.

Acrescentou que representantes dos grupos homossexuais continuavam chegando às imediações do mirante situado junto à Universidade Estatal de Moscou, um dos sete arranha-céus stalinistas da capital, e que continuavam com as detenções.

Peter Tatchell, um conhecido ativista britânico defensor dos direitos humanos e dos homossexuais, está entre os 25 detidos na parada gay, confirmou o Ministério de Exteriores do Reino Unido.

"Podemos confirmar que Peter Tatchell foi detido em Moscou enquanto participava de uma concentração pelo orgulho gay", disse uma porta-voz do Ministério de Exteriores britânico.

"Estamos em contato com ele e vamos pedir acesso consular (para o detido)", acrescentou a porta-voz.

Além dele, entre as 25 pessoas detidas, estão dois dos organizadores da marcha, Nikolai Alexeyev e Nikolai Bayev, segundo a agência "Interfax".

Uma porta-voz de Alexeyev denunciou previamente que, logo após chegarem ao mirante, 20 representantes destes grupos foram detidos pela Polícia e agentes antidistúrbios sem nenhuma explicação.

Antes, os organizadores da marcha tinham informado que a manifestação seria realizada em outro lugar da cidade, na praça Puhskin, onde se reuniram cerca de 200 pessoas, a maioria delas jornalistas russos e estrangeiros, mas não representantes dos grupos homossexuais. EFE egw/ma-an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.