Polícia detém 12 ligados a incêndio em arranha-céu de Pequim

Pequim, 12 fev (EFE).- A Polícia deteve 12 pessoas relacionadas com o incêndio que na segunda-feira passada destruiu um arranha-céu no sudeste de Pequim, em um incidente, segundo investigações, causado pelo lançamento de fogos de artifício, informa hoje a agência oficial de notícias Xinhua.

EFE |

As autoridades de Pequim informaram que entre os 12 detidos há um de cargo oficial e três empregados da TV estatal chinesa "CFTV", além de oito operários contratados para o espetáculo pirotécnico.

As autoridades de controle de incêndios de Pequim determinaram que o incêndio do hotel Mandarin Oriental, próximo à sede da televisão estatal chinesa e que deixou uma pessoa morta, foi causado por fogos de artifício.

O Escritório de Controle de Incêndios de Pequim assegurou que a própria "CFTV" contratou ilegalmente a empresa pirotécnica para que realizasse um espetáculo ao ar livre.

A "CFTV" pediu perdão publicamente pelo incêndio. EFE gmp/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG