Polícia detém 113 pessoas em operações contra máfias italianas

Roma - Cento e treze pessoas foram detidas hoje durante três operações policiais contra as organizações mafiosas mais importantes da Itália: a Ndrangheta - da região da Calábria -, a Cosa Nostra - originária da Sicília - e a Camorra - de Nápoles -, informou a Polícia.

EFE |

Entre as detenções, a Polícia destaca a de um sobrinho de Francesco Schiavone, conhecido como "Sandokan", um dos chefes do grupo dos Casalesi - considerado o mais poderoso e impiedoso da Camorra -, que foi condenado à prisão perpétua no histórico processo contra o grupo, realizado em 2005.

Além disso, foram detidas outras 26 pessoas ligadas à máfia dos Casalesi acusadas de assassinatos, posse ilegal de armas, intimidação e associação mafiosa.

A Cosa Nostra foi a que sofreu o maior golpe dentre as três organizações criminosas, com 55 detenções de supostos membros da máfia Triglia, instalada na localidade siciliana de Siracusa.

Os detidos são acusados de extorsão, tráfico de drogas, tentativa de assassinato e posse ilegal de armas.

Por último, foram detidos 31 supostos membros dos clãs Nirta-Strangio, Petull-Ladini e Squillace, ligados à Ndrangheta.

Segundo a Polícia, estas "famílias" controlavam o tráfico de drogas na província de Reggio Calabria, com conexões nas áreas de Lácio, Toscana e Piemonte.

Leia mais sobre: máfias italianas

    Leia tudo sobre: itáliamafia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG