Polícia desarticula rede de prostituição de brasileiras na Espanha

LAS PALMAS DE GRAN CANARIA - A polícia da Espanha desarticulou nesta segunda-feira um grupo de prostituição de mulheres brasileiras e colombianas em Gran Canaria, nas Ilhas Canárias.

EFE |

Fontes da polícia informaram nesta segunda-feira que a operação Glamour terminou com a detenção de cidadãos colombianos e espanhóis e com o fechamento de uma casa noturna, onde a organização criminosa chegava a faturar US$ 1,5 milhão ao ano.

Os detidos foram identificados como María Lucelly L. C., de 47 anos, e Diana Fernanda S. C., de 32, ambas colombianas, e o espanhol Eladio Javier R. E., de 32 anos, todos acusados de formação de quadrilha, facilitação da imigração ilegal, prostituição e lavagem de dinheiro.

A Polícia também prendeu os colombianos Jackelin C. C., de 28 anos, María Victoria A. B., de 33, e Luis Eduardo C. G., de 36, e a espanhola Lucía T. M., de 54, acusados de facilitar a imigração ilegal e de crimes relacionados à prostituição.

A Polícia iniciou a investigação ao perceber mulheres brasileiras e colombianas em um imóvel da ilha onde estavam muitos homens, o que confirmou que várias mulheres sul-americanas entravam no país como turistas e se prostituíam durante sua estadia na Espanha.

A organização aliciava jovens de pouca instrução que tinham várias dívidas.

Ao chegar à ilha, as jovens se dirigiam para o clube, onde eram instruídas a afirmar à polícia que eram turistas e que viviam de aluguel no tal imóvel.

Essas mulheres trabalhavam 12 horas por dia e deviam entregar a metade do lucro aos gerentes do clube.

Para ocultar os ganhos obtidos com a prostituição das jovens, os gerentes do local criaram vários salões de beleza.

    Leia tudo sobre: prostituição

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG