Polícia declara que poderia ter solucionado sequestro de 1991 há três anos

ANTIOCH ¿ A polícia da Califórnia de disse que poderia ter encontrado Jaycee Dugard, que foi raptada em 1991, quando tinha apenas 11 anos, em 2006. O xerife Warren E. Rupf, do condado de Contra Costa, se desculpou pela falha no caso, que ainda está sob investigação.

Redação com agências internacionais |



Jaycee teria morado por 18 anos em barracões no jardim da casa de Garrido / AP

Rupf disse que um vizinho denunciou, há três anos, que havia pessoas morando em tendas no quintal da casa de Garrido.

"A pessoa que ligou afirmou que Garrido era psicótico e era viciado em sexo", afirmou Rupf.

O responsável pela investigação de Garrido, em novembro de 2006, lhe advertiu que a moradia de pessoas no quintal era uma violação do código. No entanto, segundo Rupf, o quintal não foi vasculhado.

O xerife pediu desculpas pela falha e afirmou que, à época, o oficial que foi até o local não tinha acesso à informação de que Garrido era acusado de outros crimes sexuais desde 1999. "Eu peço desculpas para as vítimas e aceito a responsabilidade de ter perdido uma oportunidade anterior de salvar Jaycee", afirmou Rupf.

Eles "perderam uma oportunidade" e "não há desculpa para isso", disse Rupf, desculpando-se à família Dugard.

Além disso, a polícia busca evidências do assassinato de prostitutas e o aparecimento de novas provas que poderiam ter ajudado a polícia a prendê-lo há anos.

Oficiais executaram o mandado de busca na casa de Garrido à procura de pistas de outras mortes, disse o capitão Daniel Terry.

Diversos corpos de mulheres mortas foram jogados em um parque industrial onde Garrido, acusado de agressões sexuais, trabalhou durante a década de 1990.



Imagem de arquivo de Jaycee, antes do sequestro

Inocentes

O casal acusado do rapto declarou-se "inocente" de múltiplas acusações, entre elas a de estupro. Phillip Garrido, de 58 anos, e sua esposa Nancy, de 54, foram representados por seus advogados e nada falaram na audiência de cinco minutos onde foram lidas as acusações contra eles na Corte Superior do condado de El Dorado. Ambos foram detidos, sem direito à fiança e voltarão ao tribunal no dia 14 de setembro.

Jaycee Dugard, sequestrada aos 11 anos, hoje com 29, foi mantida nos fundos da casa do casal Garrido, em Antioch (70 km a leste de San Francisco), segundo os primeiros elementos da investigação.

Jaycee, que na quinta-feira se uniu à mãe e à irmã, teria tido duas filhas com seu captor, a primeira delas quando tinha 14 anos, segundo revelações da imprensa local.


Phillip Garrido e sua mulher, Nancy, são suspeitos de raptar Jaycee Lee Dugard / AFP

Pesam 28 acusações contra Phillip Garrido e Nancy que sequestraram em 1991 a então menina Jaycee Lee Dugard na casa de seus pais, a pouco mais de 200 km do local onde apareceu nesta quarta-feira.

Garrido e sua mulher são acusados de sequestrar e violar Jaycee Dugard, hoje com 29 anos - entre outros crimes - e mantê-la como prisioneira num jardim escondido de sua casa rural de Antioch, 70 km a leste de San Francisco.

Na quinta-feira, a polícia revelou que o homem, em liberdade condicional por um outro crime de estupro e sequestro, em 1971, é pai de duas filhas de Jaycee Dugard, hoje com 15 e 11 anos.

Nancy Garrido soluçou durante a audiência a que compareceu junto com o marido que, ao contrário, não demonstrou nenhuma emoção.

Em uma rara entrevista por telefone concedida por Phillip Garrido, este admitiu que havia sido "algo repugnante" ter raptado a menina em 1991, ante o olhar de seu padrastro Carl Probyn, que todos estes anos foi considerado suspeito, tendo até mesmo rompido o casamento com a mãe da sequestrada, Terry Probyn.

"Descobrirão a história mais impactante através da testemunha, a vítima", disse Garrido. "Acontece que nos últimos anos mudei completamente de vida".

(Com informações da AP, BBC e AFP)


Leia mais sobre Jaycee Lee Dugard

    Leia tudo sobre: euaseqüestro

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG