Polícia de Moscou ameaça deter e acusar manifestantes da oposição

Moscou, 31 jan (EFE).- A Prefeitura de Moscou ameaçou deter e acusar os opositores liberais que hoje saírem às ruas para um novo protesto pacífico não autorizado em apoio ao direito constitucional às manifestações.

EFE |

"Se os participantes da passeata forem à Praça Triunfal de Moscou, isso será considerado uma alteração da ordem pública e adotaremos as medidas pertinentes", declarou um porta-voz da Polícia.

O oficial afirmou que "os participantes que desobedecerem a Polícia serão detidos" por ordem da Prefeitura, que sempre proíbe os protestos que a oposição sem representação no Parlamento convoca a cada dia 31 em defesa do artigo 31 da Constituição russa.

Esse artigo diz que "os cidadãos da Rússia têm o direito de realizar, pacificamente e sem armas, reuniões, comícios, manifestações, passeatas e piquetes". Mas, na capital russa, as manifestações da oposição acabam sendo proibidas e dissolvidas violentamente.

"O Governo da cidade adverte que, caso tentem realizar uma ação não autorizada, seus organizadores e participantes serão punidos de acordo com a lei", declarou a Prefeitura de Moscou.

Os últimos protestos, realizados em 31 de outubro e 31 de dezembro, terminaram com a dura intervenção da Polícia e a detenção de dezenas de manifestantes. EFE se/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG