A polícia de Dubai anunciou nesta quarta-feira ter identificado mais 15 suspeitos de envolvimento na morte de um líder do grupo militante palestino Hamas no mês passado. Seis dos novos suspeitos pela morte de Mahmoud al-Mabhouh têm passaporte britânico.

Os outros têm documentos irlandeses, franceses e australianos.

Segundo a polícia de Dubai, Israel estaria por trás do crime, mas o governo israelense tem se recusado a negar ou confirmar o envolvimento no assassinato.

Um dos fundadores do braço armado do Hamas, as Brigadas Izz al-Din Qassam, Mabhouh foi encontrado morto em um quarto de hotel em Dubai no último dia 20 de janeiro.

Um exame post-mortem revelou que o integrante do Hamas foi eletrocutado e depois sufocado.

Passaportes
No início deste mês, as autoridades de Dubai revelaram os nomes e fotografias de 11 "agentes com passaporte europeu" - seis britânicos, três irlandeses, um francês e um alemão.

Em um comunicado nesta quarta-feira, a polícia de Dubai disse ter identificado um total de 26 pessoas suspeitas de envolvimento na morte de Mabhouh.

"Os suspeitos se reuniram em Dubai e se espalharam por várias localidades antes de se reunirem de novo em pequenos grupos e partirem para outros destinos", diz o comunicado.

Os investigadores também descobriram que 14 dos suspeitos usaram cartões de crédito emitidos pelo MetaBank, sediado nos Estados Unidos.

"Os cartões foram usados para reservar quartos de hotel e pagar viagens aéreas", informou a polícia.

O Ministério do Exterior britânico afirmou que está examinando as informações de que mais passaportes britânicos falsos podem ter sido usados, mas não confirmou os números divulgados pelas autoridades de Dubai.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.