Polícia de Dubai diz que pacote que ia aos EUA era da Al-Qaeda

Segundo a polícia de Dubai, maneira como artefato foi preparado é simular a usada por terroristas como Al-Qaeda

AFP |

O pacote suspeito procedente do Iêmen e interceptado no aeroporto de Dubai continha explosivos e um sistema de acionamento que são a marca de organizações terroristas como a Al-Qaeda, anunciou neste sábado a polícia do emirado.

"A investigação sobre pacotes suspeitos procedentes do Iêmen identificados pela equipe de investigação por meio da empresa americana de transportes aéreos FedEx mostrou que um deles era uma impressora de computador cujo cartucho de tinta continha produtos explosivos", afirma um comunicado oficial.

"O artefato foi preparado de maneira profissional e dotado de um circuito elétrico conectado a um cartão de telefone celular oculto na impressora. A maneira como o artefato foi preparado tem características similares às utilizadas por grupos terroristas como a Al-Qaeda", conclui o comunicado.

Material explosivo

Há indicações de que os pacotes encontrados em aviões em Dubai e Londres continham material explosivo, afirmou na sexta-feira o presidente dos EUA, Barack Obama. Segundo o presidente americano, os dois dispositivos estavam direcionados a organizações judaicas na área da cidade americana de Chicago. Ele não especificou quais seriam as instituições.

Segundo Obama, as autoridades descobriram uma "ameaça terrorista real" contra os EUA depois da descoberta de dois pacotes contendo explosivos em aviões de carga na rota para os EUA. "Os eventos das últimas 24 horas mostram a necessidade de permanecer em vigilância", disse o líder americano.

De acordo com a rede de TV CNN, os investigadores afirmam que nos dispositivos havia provavelmente o potente explosivo PETN (pentrita), mesma substância usada em uma tentativa de ataque no Natal do ano passado.

“Na noite passada e hoje (sexta-feira) cedo nossos serviços de inteligência e agentes da lei, em conjunto com nossos parceiros e aliados, identificaram dois pacotes suspeitos destinados aos Estados Unidos. Especificamente, a dois templos religiosos judaicos em Chicago”, disse.

“Esses pacotes foram localizados em Dubai e no aeroporto de East Midlands, na Grã-Bretanha (países onde os voos faziam escala). Análises iniciais determinaram que eles aparentemente continham material explosivo”, afirmou. A descoberta dos pacotes disparou alertas de segurança em todo o mundo, em meio a temores de que a rede terrorista Al-Qaeda tenta lançar novos ataques.

Os pacotes eram provenientes do Iêmen, onde atua a base da Al-Qaeda na Península Arábica , que há muito tempo deixou claro seu objetivo de atacar alvos americanos. O mesmo grupo foi responsável pela tentativa de ataque de um nigeriano em um avião que voava para os EUA no Natal do ano passado.

Obama não responsabilizou o braço da Al-Qaeda no Iêmen pelos dispositivos, mas autoridades que falaram sob condição de anonimato disseram estar cada vez mais convencidos de que o grupo era responsável. Os eventos aconteceram quatro dias antes das eleições legislativas e estaduais dos EUA, em que a discussão do terrorismo não teve destaque.

As declarações de Obama foram feitas horas depois que autoridades revelaram que Dubai havia interceptado na quinta-feira um dispositivo explosivo destinado a uma instituição judaica na área de Chicago. O segundo pacote estava em uma aeronave de carga da companhia de transporte UPS inspecionada na Inglaterra, onde fez escala após sair do Iêmen em direção a Chicago.

O segundo dispositivo continha cabos e pólvora branca, segundo fontes de inteligência citadas pela rede de TV CNN. O embrulho achado em Londres havia sido manipulado: do pacote saiam cabos conectados a um circuito eletrônico simples.

Um porta-voz do FBI em Chicago, Rossa Rice, disse que os dois pacotes suspeitos foram enviados do mesmo endereço da nação árabe. Os pacotes colocaram em alerta as autoridades americanas, que realizam buscas em vários aviões da empresa de transporte em dois aeroportos da costa leste dos EUA, na Filadélfia (Pensilvânia), e em Newark (Nova Jersey).

Uma aeronave da companhia Emirates foi escoltada por dois aviões até o aeroporto JFK de Nova York. O voo 201, que partiu na quinta-feira da capital do Iêmen, Sanaa, foi identificado como "de interesse" por ter carga vinda do Iêmen, disse o porta-voz do FBI, Richard Kolko.

Posteriormente, o assessor de Segurança Interna e Contraterrorismo dos EUA, John Brennan, afirmou que medidas como às do voo da Emirates estão sendo tomadas para verificar se há ameaças adicionais. "O que estamos fazendo é olhar com mais cuidados as outras bagagens, especialmente de voos provenientes do Iêmen", afirmou.

Sem oferecer detalhes, Brennan também afirmou que os explosivos encontrados "estavam projetados para tentar realizar um tipo de ataque". "A análise forense está em andamento", disse. "Pela observação inicial, os materiais que foram encontrados tinham intenção de causar danos."

Antes do pronunciamento de Obama, a Casa Branca disse que Obama pediu a agências de inteligência e segurança, juntamente com o Departamento de Segurança Interna americano, que tomassem as medidas necessárias para garantir a segurança do povo americano.

Além das operações em aviões, a polícia de Nova York inspecionou um caminhão da UPS encontrado em um dos bairros da cidade por causa da suspeita de que pudesse conter explosivos.

Uma porta-voz da Federação Israelita de Chicago disse que a comunidade judaica foi alertada assim que o pacote foi descoberto. "Fomos notificados nesta manhã que sinagogas deveriam estar em alerta", disse Linda Haase à agência Reuters. "Estamos tomando precauções apropriadas e aconselhando as sinagogas locaisa fazerem o mesmo.

Inspeção

Entre os aviões inspecionados pelo FBI se encontra um procedente de Paris, que foi rebocado para uma pista afastada do terminal do aeroporto da Filadélfia.

A Administração de Segurança no Transporte (TSA, na sigla em inglês) indicou que "um pacote potencialmente suspeito" a bordo de outro avião da UPS, que aterrissou esta manhã no Aeroporto Liberty International, de Newark (Nova Jersey), procedente de Londres, também está sendo inspecionado. Os aeroportos afetados estão operando normalmente.

*Com EFE, AP e BBC

    Leia tudo sobre: euaterrorismopacote suspeitoiêmen

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG