Programa de TV estatal retratando oposição como agentes dos EUA motivou protesto com cerca de 1 mil participantes em Moscou

Policiais russos detêm manifestante do lado de fora da estação de TV NTV, leal ao Kremlin, em Moscou
AP
Policiais russos detêm manifestante do lado de fora da estação de TV NTV, leal ao Kremlin, em Moscou
A polícia russa deteve cerca de cem manifestantes que protestaram do lado de fora de uma estação de TV leal ao Kremlin depois de ela transmitir um programa em estilo documental retratando a oposição como agentes pagos dos EUA e a acusando de ter armado cenas falsas de fraudes eleitorais.

Perda de força: Protesto contra Putin reúne milhares, mas menos que o esperado

O programa da NTV "Anatomia de um Protesto" sugeriu que os líderes da oposição tinham a intenção de derrubar o governo, indicando que trabalhadores migrantes e outros recebiam dinheiro para comparecer a protestos recentes contra o primeiro-ministro Vladimir Putin, que venceu as eleições presidenciais de 4 de março. O programa, que foi ao ar na quinta-feira, desencadeou uma onda de tuítes raivosos e comentários nos sites de redes sociais.

Cerca de 1 mil participaram da manifestação deste domingo, gritando "Vergonha, NTV" e "Rússia sem Putin" enquanto dezenas de policiais protegiam a entrada dos escritórios da rede de televisão. Muitos usavam as fitas brancas que se tornaram um símbolo do movimento de protesto. Motoristas que passaram pelo local acionaram suas buzinas em apoio ao protesto.

"Os agentes advertiram por megafone aos manifestantes que o ato não estava autorizado, que  eles estavam incomodando o trânsito dos pedestres", disse à agência Interfax um porta-voz da polícia.

Entre os detidos está Sergei Udaltsov, líder da opositora Frente de Esquerda que já foi preso duas vezes neste mês depois da vitória de Putin, e o ex-ministro Boris Nentsov, presidente do opositor Partido da Liberdade do Povo (PLP).

Nas manifestações anteriores, Udaltsov e outros foram soltos horas depois. Não está claro se a polícia fará os detidos passarem a noite na prisão. Mais de 20 pessoas foram detidas no sábado em um protesto contra Putin. Todas elas foram soltas mais tarde.

Logo depois de Putin chegar ao poder em 2000, ele orquestrou a tomada de controle da rede privada NTV pela companhia de gás estatal Gazprom. Em meses recentes, depois que protestos sem precedentes contra Putin atraíram dezenas de milhares para as ruas de Moscou, tem sido a NTV, em vez de outras duas redes de TV estatal, que fez os ataques mais duros contra a oposição.

*Com AP, AFP e EFE

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.