Polícia chinesa detém dono da fábrica na qual morreram 16 pessoas

Pequim, 22 jun (EFE).- A Polícia chinesa deteve, por posse ilegal de explosivos, o chefe da fábrica na qual ontem morreram 16 pessoas e outras 43 ficaram feridas, na cidade de Chuzhou da província de Anhui (leste da China), informou a agência oficial de notícias Xinhua.

EFE |

Segundo Wang Tuqiang, prefeito da localidade, as autoridades descobriram que Cao Peijun, dono da Jingxin Mining, guardou ilegalmente entre cinco e sete toneladas de explosivos em uma das áreas da fábrica.

Cao foi capturado pela Polícia quando ia escapar com dois milhões de iuanes (US$ 292 mil) que previamente tinha retirado do banco.

A explosão da fábrica aconteceu na madrugada deste domingo (hora local) e grande parte dos mortos eram empregados da empresa, enquanto os feridos viviam nas proximidades do local.

Segundo a "Xinhua", se tratava de uma companhia privada dedicada à produção de areia de quartzo e trabalhavam nela mais de 60 pessoas.

A fábrica, que ficou reduzida a escombros, produzia cerca de 300 mil toneladas de areia de quartzo por ano, que vendia a países do sudeste asiático e da Europa. EFE mmp/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG