Polícia chinesa admite que protestos foram além de Urumqi

Urumqi (China), 9 jul (EFE).- A Polícia da cidade chinesa de Kashgar, no extremo leste de Xinjiang, admitiu hoje que também teve confrontos entre manifestantes e autoridades após os violentos distúrbios na capital regional, Urumqi.

EFE |

O Birô de Segurança Pública de Kashgar reconheceu em comunicado que "200 pessoas tentaram se concentrar na mesquita de Id Kah", a maior da China, e geraram "distúrbios" na segunda-feira passada, um dia depois das manifestações e revoltas em Urumqi, a 1.600 quilômetros de distância.

Segundo a nota oficial, policiais chegaram local e dispersaram o protesto em 45 minutos.

A Polícia de Kashgar assegurou que o incidente foi resolvido sem feridos e mortos, embora líderes uigures no exílio tenha afirmado que os incidentes na cidade foram piores que os de Urumqi e que neles morreram pelo menos 100 pessoas, todas de sua etnia.

Segundo fontes oficiais, em Urumqi morreram pelo menos 156 pessoas, mais de mil ficaram feridas e 1.434 foram detidas. EFE mz/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG