Polícia chilena acha dezenas de corpos de animais em sociedade protetora

Santiago do Chile, 3 dez (EFE).- As autoridades do Chile encontraram dezenas de bichos mortos nas dependências da Sociedade Protetora de Animais situada a poucas quadras do centro de Santiago, informaram hoje fontes da instituição.

EFE |

A Polícia deteve oito pessoas dessa entidade pelas acusações de maus-tratos de animais e propagação de doenças infecciosas.

Segundo o veterinário Sebastián Jiménez, que apresenta um programa de televisão dedicado aos animais de estimação, a imagem dentro do imóvel era terrível.

"Não havia alimentos, não havia água, cachorros amontoados, cheio de excrementos, doentes", assinalou.

Segundo a Polícia, os encarregados da entidade não prestavam os cuidados necessários aos animais, os deixavam sem alimentos, mantinham os doentes junto aos saudáveis e todos viviam em meio aos cadáveres.

Os moradores denunciaram o fato devido ao forte cheiro que saía do local, o que ficou consignado dentro da investigação que a Polícia Civil fazia há quatro meses e que terminou com as detenções.

Jimenez frisou que é a primeira vez em sua vida como veterinário que se defronta com um cenário dessas características. "Nunca imaginei que ia ser tão grave a situação. Tínhamos denúncias de pessoas que diziam que havia maus cheiros e que tiravam animais mortos em caminhões de lixo, mas isso superou tudo", ressaltou.

O vice-presidente do Colégio Médico Veterinário do Chile, Fernando Álvarez, condenou nesta quarta-feira energicamente o maus-tratos e a crueldade a que foram submetidos nesse recinto centenas de cães e gatos.

"Mais uma vez denunciamos a carência em nosso país de uma legislação moderna com respeito do bem-estar animal apesar de, há cerca dez anos, um projeto de lei específico que ajudamos a elaborar, ainda esperar por sua aprovação e promulgação", assinalou Álvarez em declarações à Agência Efe. EFE mc/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG