Polícia busca suspeito de assassinar cinco pessoas em Cleveland

CLEVELAND - Equipes da polícia e um helicóptero estão procurando pelo suspeito de matar a mulher, a cunhada e três crianças pequenas, nesta sexta-feira. Um policial disse que o homem, ex-condenado, deixou claro que não voltaria para a prisão.

Redação com AP |

Pai é principal suspeito de crimes
Pai é principal suspeito de crimes
Em uma coletiva de imprensa, a polícia disse que estavam seguindo pistas, mas não conseguiram localizar Davon Crawford, 33. Ele foi libertado em 2007, após cumprir pena por homicídio casual e crimes envolvendo violência doméstica.

Sua mulher, Lechea, está entre as pessoas que foram assassinadas em sua casa na quinta-feira à noite. Um parente do casal disse que eles haviam se casado na segunda-feira.

As outras vítimas eram a irmã de Lechea, Rose Stevens, e as três crianças de Stevens: Destiny Woods, 4, e os gêmeos Dion e Davion Primm, 2.

Uma quinta criança foi ferida e está no hospital sendo tratada, enquanto outros dois garotos de cerca de 12 anos que receberam tiros conseguiram fugir e chamar a polícia, de acordo com oficiais.

Um helicóptero da polícia está auxiliando na busca do suspeito e autoridades estão checando o sistema de transporte de ônibus. "Ele deixou claro que não voltará para a prisão", disse o lugar-tenente Tom Stacho. "Não sabemos se isso quer dizer que ele quer se suicidar ou lutar ou continuar fugindo. Ele expressou isso para membros da família e amigos".

O chefe da polícia Michael McGrath disse que aparentemente houve uma discussão que gerou os disparos, que ele considera "um dos piores assassinatos múltiplos a tiros que eu já vi".

De acordo com registros da prisão, Crawford foi condenado em 1995 por homicídio casual. Ele foi solto em 2000 e preso novamente em 2002 por crimes de violência doméstica e, então, foi solto em 2007.

AP

Policiais retiram corpos de vítimas depois de assassinatos

Não há informações sobre as crianças hospitalizadas. As autoridades dizem que ainda estão verificando a relação entre as vítimas e os sobreviventes. Lamar Arnold disse, em entrevista à AP, que Crawford e sua filha tinham acabado de se casar. O pai da vítima disse que recebeu uma mensagem de texto incomum de sua filha dizendo "Me ligue, viva sua vida, ame-a". De acordo com o entrevistado, ele tentou ligar para Lechea cerca de 12 vezes, mas não obteve resposta".

Crawford estava em condicional até o fim do ano passado. Durante esse período ele passou por diversos testes toxicológicos de urina, sustentava seu filho, trabalhava em tempo integral e não obteve problemas com as autoridades, de acordo com a porta-voz do Departamento de Reabilitação e Correção, Andrea Carson.

Leia mais sobre: ataques

    Leia tudo sobre: ataques

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG