Segundo o Guardian, detetives contratados pelo News of the World teriam monitorado computador de Peter Hain

Fachada do edifício da sede da Scotland Yard em Londres (foto de arquivo)
Getty Images
Fachada do edifício da sede da Scotland Yard em Londres (foto de arquivo)
A polícia britânica investiga se o ex-ministro britânico para a Irlanda do Norte Peter Hain foi monitorado por detetives contratado pela News International, braço britânico da News Corporation , de Rupert Murdoch, que publicava o extinto tabloide News of the World .

A notícia, divulgada pelo jornal The Guardian nesta terça-feira, é o mais forte sinal de que o News of the World, acusado de grampear telefones de 4 mil pessoas, também monitorou emails e outros dados eletrônicos. É, também, um forte sinal de que o jornal pode ter obtido informações sigilosas do governo relativas à segurança nacional.

De acordo com o Guardian, a polícia informou a Hain, integrante do antigo governo trabalhista entre 2005 e 2007, de que ele, seus funcionários e agentes secretos podem ter sido vítimas de espionagem. O computador de Hain teria sido hackeado, segundo o jornal.

A polícia não quis comentar o caso, enquanto um porta-voz de Hain se limitou a dizer que o assunto é de “segurança nacional e está sob investigação policial, por isso não seria correto fazer comentários”.

A investigação sobre o monitoramento de computadores está a cargo da Scotland Yard (Polícia Metropolitana de Londres) e ocorre paralelamente a outra investigação sobre as escutas telefônicas do "The News of the World" – as duas, porém, estão relacionadas.

Como ministro, Hain esteve envolvido em delicadas negociações de paz na Irlanda do Norte. Por seu computador ele tinha acesso a dados confidenciais sobre informantes e segurança.

Tom Watson, um dos parlamentares que integram a comissão que investiga o escândalo de escutas telefônicas, afirmou que a denúncia leva a investigação para outro nível. “Isso também nos faz questionar se a direção da News International estava ciente”, afirmou.

James Murdoch

Nesta terça-feira, o filho de Rupert Murdoch e presidente da News International, James Murdoch , foi reeleito presidente da transmissora britânica via satélite BSkyB.

Murdoch recebeu o apoio de 81,24% dos acionistas, enquanto 18,76% votaram contra ele na reunião anual da companhia. A News Corp. controla 39% da transmissora britânica e, por causa do escândalo do News of the World, teve de desistir de comprar toda a empresa.

O vice-presidente da BSkyB, Nicholas Ferguson, disse aos acionistas que o filho de Murdoch estava fazendo um bom trabalho. “Ele lidera muito bem o conselho de diretores. As discussões são abertas e francas e ele tem uma visão estratégica muito forte”, afirmou.

Em setembro, James Murdoch renunciou às mesas diretoras das unidades de publicação vinculadas aos jornais britânicos da News Corporation.

Com AP, EFE e The Guardian

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.