Polícia britânica detém vereador por mensagem de ódio no Twitter

Gareth Compton, membro do Partido Conservador e vereador em Birmingham, pediu morte por apedrejamento de jornalista muçulmana

AFP |

A polícia britânica anunciou, nesta quinta-feira, ter detido um vereador suspeito de ter postado uma mensagem de ódio no Twitter pedindo o apedrejamento até a morte de uma jornalista muçulmana.

Gareth Compton, membro do Partido Conservador e vereador em Birmingham, cidade do centro da Inglaterra, é acusado de ter escrito no Twitter: "Alguém pode apedrejar até a morte Yasmin Alibhai-Brown, por favor? Não contarei à Anistia que foram vocês. Isto seria uma bênção, realmente".

O comentário teria sido feito após Yasmin Alibhai-Brown, que escreve para vários jornais britânicos, ter declarado no rádio que políticos não estavam qualificados para falar de violações dos direitos humanos, como o apedrejamento de mulheres.

Desculpas

Compton, 38 anos, desculpou-se em seguida, pelo Twitter, dizendo: "Eu gostaria de me desculpar pelo mal que causei. Não foi de forma alguma intencional", escreveu.

Yasmin Alibhai-Brown disse estar chocada com o caso. "É realmente perturbador. Eu e minha filha adolescente estamos com medo", declarou ao jornal The Guardian.

Após ter sido interrogado na quarta-feira, Gareth Compton pagou a fiança e foi libertado sem acusação imediata, precisou a polícia. O Partido Conservador, que controla o governo britânico de coalizão, informou ter suspendido o vereador por todo o tempo de investigação policial.

    Leia tudo sobre: reino unidopartido conservadortwittervereador

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG