Polícia boliviana dispersa protesto na Embaixada dos EUA em La Paz

La Paz, 9 jun (EFE) - A Polícia da Bolívia dispersou hoje, com bombas de gás lacrimogêneo, milhares de manifestantes que, durante mais de duas horas, protestaram em frente à embaixada dos Estados Unidos e tentaram furar a segurança da delegação com pedras, paus, explosivos e um pneu em chamas, atirado contra os agentes. Os incidentes ocorreram depois que uma grande passeata, uma das maiores registradas em meses, chegou às portas da Embaixada dos EUA em La Paz a partir da vizinha cidade de El Alto, conforme constatou a Agência Efe. Os manifestantes de El Alto protestaram contra o embaixador americano, Philip Goldberg, depois que os EUA concederam, há mais de um ano, asilo político ao ex-ministro da Defesa Carlos Sánchez Berzaín, que é acusado de genocídio. A decisão só veio a público na semana passada.

EFE |

O ex-ministro da Defesa fugiu aos Estados Unidos após as revoltas de 2003, nas quais mais de 60 pessoas morreram e que colocaram fim ao segundo Governo de Gonzalo Sánchez de Lozada (2002-2003), também foragido nesse país e acusado de genocídio na Bolívia.

Da manifestação, que foi apoiada por uma paralisação parcial de atividades em El Alto, participaram aimaras do grupo radical dos Ponchos Vermelhos, assim como moradores, ativistas de direitos humanos, comerciantes, sindicatos e universitários.

A embaixada parou praticamente suas atividades durante a jornada e esteve protegida por vários cordões policiais que, pouco a pouco, foram ultrapassados pela grande manifestação.

"Goldberg, queremos sua cabeça", "Goldberg, fora da Bolívia", "Estados Unidos, asilo de assassinos" e "El Alto de pé, nunca de joelhos" foram os gritos mais ouvidos na manifestação. EFE ja/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG