Polícia alemã captura adolescente acusada de tentar incendiar escola

A polícia alemã capturou, na noite desta segunda-feira, uma adolescente de 16 anos acusada de esfaquear uma aluna de 17 anos em uma escola na cidade de Sankt Augustin, nos arredores de Bonn, oeste da Alemanha. Suspeita-se que a adolescente também pretendesse incendiar a escola.

BBC Brasil |

O incidente aconteceu na manhã desta segunda-feira. Segundo testemunhas, a suspeita, que seria aluna do colégio, teria entrado no complexo escolar Albert Einstein usando uma máscara e munida de facas.

Uma aluna que teria tentado impedi-la de continuar o ataque foi ferida no banheiro da escola. Um alarme foi acionado por um professor que escutou os gritos da garota agredida. Depois disso, a suspeita teria fugido.

Ainda segundo depoimentos, a adolescente estaria disposta a colocar fogo na escola usando coquetéis molotov.

Após o incidente, as salas de aula da escola foram evacuadas por forças especiais da polícia alemã e todos os cerca de 800 alunos foram isolados em uma quadra esportiva.

Ameaças
A suspeita teria feito ameaças contra a escola na semana passada, e tinha uma consulta marcada com o psicólogo do colégio nesta semana. O ataque ocorreu exatamente dois meses depois do massacre de Winnenden, quando um rapaz de 17 anos invadiu uma escola no sul da Alemanha e matou 15 pessoas antes de se suicidar.

Informações sobre os motivos da agressão e da invasão da escola não foram confirmadas oficialmente pelos policiais.

A estudante agredida foi levada para um hospital e teve um dedo polegar amputado por causa dos ferimentos.Nas instalações da escola, foi encontrada uma mochila contendo uma máscara, várias facas, garrafas com gasolina e uma pistola de gás. A polícia não confirmou se os pertences teriam sido trazidos pela suspeita.Uma carta também foi encontrada dentro da mochila. Mas os investigadores não revelaram o conteúdo do bilhete.

Os pais dos estudantes puderam retirá-los da escola na tarde desta segunda-feira. Segundo a polícia, será providenciado acompanhamento psicológico para os alunos.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG