Polêmica histórica marca cerimônia de 70 anos da 2ª Guerra

Líderes mundiais se reúnem nesta terça-feira na Polônia para marcar o aniversário de 70 anos do começo da Segunda Guerra Mundial, em meio à polêmica sobre o papel histórico da União Soviética no conflito.

BBC Brasil |

O presidente da Polônia, Lech Kaczynski, defendeu o ponto de vista de seu país em um discurso em que afirmou que em 1939 os soviéticos "esfaquearam a Polônia pelas costas".

O discurso foi feito no local onde, há 70 anos, no dia 1º de setembro, às 4h45, o encouraçado alemão Schleswig-Holstein disparou na Polônia vários tiros contra a base de Westerplatte.


AFP

Veterano polonês da Segunda Guerra observa cerimônia em Gdansk

Ao mesmo tempo, o Exército alemão invadiu a polônia pelo leste, oeste e sul, em ataques que deflagraram a declaração de guerra de França e Grã-Bretanha contra a Alemanha dois dias depois.

Os poloneses, entretanto, sempre consideraram o Tratado de Não-Agressão firmado entre o regime nazista e os soviéticos uma semana antes da guerra, como o estopim da invasão alemã.

Duas semanas depois, em meados de setembro de 1939, o Exército soviético invadiu o leste da Polônia.

"No dia 17 de setembro, quando ainda estávamos defendendo Varsóvia, foi o dia em que a Polônia recebeu uma facada nas costas", disse Kaczynski.

"Glória aos heróis de Westerplatte, glória a todos os soldados que lutaram na Segunda Guerra Mundial contra o nazismo e contra o totalitarismo bolchevique", concluiu.

Um artigo escrito pelo presidente da Rússia, Vladimir Putin, e publicado no jornal polonês Gazeta Wyborcza, ajudou a aumentar ainda mais a tensão.

Putin condenou o pacto, mas afirmou que a União Soviética não tinha outra opção. Ele observou que, em 1938, França e Grã-Bretanha assinaram o Acordo de Munique com a Alemanha nazista, "destruindo todas as esperanças de criar uma frente unida contra o fascismo".

Ele não fez, entretanto, qualquer referência à invasão da Polônia pelo Exército Vermelho em setembro de 1939.

Putin deverá discursar mais tarde durante as cerimônias desta terça-feira. Putin lidera uma delegação de alto escalão da Rússia e deve ter uma série de encontros bilaterais com a Polônia e a Ucrânia para tentar melhorar as relações entre os países.

É a primeira vez que uma autoridade importante da Rússia participa de uma cerimônia para marcar a 2ª Guerra na Polônia.

Mais de 20 líderes de diversos países, entre eles a chanceler alemã, Angela Merkel, participarão das cerimônias para marcar os 70 anos do início da 2ª Guerra Mundial, que matou mais de 50 milhões de pessoas.

Veja no infográfico como começou a 2ª Guerra Mundia Segunda Guerra

Leia mais sobre 2ª Guerra Mundial

    Leia tudo sobre: 2ª guerra mundial

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG