Genebra, 11 nov (EFE).- O Programa Mundial de Alimentos (PMA) denunciou hoje a contribuição nula de recursos por parte dos países doadores para atenuar a crise de fome que castiga o Zimbábue.

Segundo a agência da ONU, há 4 milhões de pessoas que passam fome no país sul-africano, 2 milhões a mais que há um mês.

Diante da crise humanitária, em 8 de outubro, a instituição fez uma chamada de urgência para atenuar a crise de fome, na qual solicitou US$ 148 milhões.

O PMA considera que o número de famintos subirá para 5 milhões no início do ano que vem e lamenta que não tenha dinheiro para comprar comida, em uma situação na qual há a colaboração do Governo e acesso às vítimas. EFE mh/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.