Plebiscito na Eslovênia define possível veto à entrada da Croácia na UE

Cerca de 1,7 milhão de eslovenos foram convocados

EFE |

Zagreb - A Eslovênia realiza hoje um plebiscito sobre a ratificação de um acordo bilateral com a Croácia sobre um litígio fronteiriço bilateral no mar Adriático, que em caso de uma rejeição seria um obstáculo para as intenções croatas de entrar em breve na União Europeia (UE).

Cerca de 1,7 milhão de eslovenos com direito a voto foram convocados a dar seu sinal verde a um acordo que prevê esclarecer o litígio fronteiriço mediante uma arbitragem internacional. O acordo, assinado em novembro do ano passado em Estocolmo pelos respectivos primeiros-ministros, já foi ratificado pelos Parlamentos de ambos os países.

No caso croata significa que foi aceito definitivamente, enquanto no esloveno ainda é preciso a aprovação popular mediante plebiscito. O resultado do plebiscito é vinculativo, de modo que se os cidadãos anularem o acordo, o Parlamento não poderá voltar a considerar o tema durante pelo menos um ano. As últimas pesquisas preveem um resultado incerto, embora o voto a favor da proposta pareça contar com uma ligeira maioria.

No entanto, seja qual for o resultado, as aspirações da Croácia correm perigo de sofrer atrasos, já que também em caso de uma aceitação, a oposição eslovena anunciou que bloqueará a ratificação do tratado de adesão croata. A Croácia espera se integrar nos dois próximos anos na UE e se transformar assim na segunda ex-república iugoslava que consegue entrar no bloco.

O contencioso da delimitação fronteiriça no mar Adriático existe desde a desintegração da antiga Iugoslávia. A Croácia considera que a delimitação deveria ser feita mediante a simples divisão pela metade da baía de Piran. A Eslovênia, com apenas 47 quilômetros de costa, diz que nesse caso não teria saída própria para as águas internacionais.

    Leia tudo sobre: iGmundoeslovêniacroácia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG