Plano Colômbia falhou, diz Congresso dos EUA

A ajuda de US$ 6 bilhões do governo americano para que a Colômbia combata a produção de drogas em seu território falhou em atingir seu alvo, afirma um relatório do Congresso dos Estados Unidos. Apesar das ações do chamado Plano Colômbia, o cultivo de coca no país cresceu 15% entre 2000 e 2006, segundo o documento.

BBC Brasil |

Mesmo assim, o Congresso reconhece que o plano ajudou a diminuir os índices de violência na Colômbia, baixando as taxas de seqüestros e assassinatos, ao mesmo tempo que diminuiu a ameaça das guerrilhas de esquerda que atuam no país.

Cortes
O governo colombiano recebe US$ 600 milhões por ano dos Estados Unidos para combater o tráfico de drogas. Mas esta ajuda deve diminuir por causa da crise econômica, segundo os congressistas.

O relatório recomenda que o montante sofra alguns cortes e aconselha os governos da Colômbia e dos Estados Unidos a "desenvolverem um plano conjunto para transferir as responsabilidades operacionais e de financiamento dos Estados Unidos para a Colômbia".

O relatório foi requisitado pelo futuro vice-presidente dos EUA, senador Joe Biden, que é presidente da Comissão de Relações Exteriores do Senado, ao Escritório Geral de Contabilidade do país.

Apesar da ajuda do Plano Colômbia, o país sul-americano continua sendo o maior produtor de cocaína do mundo, produzindo cerca de 90% da droga consumida nos EUA.

Anunciado em 1999, o Plano Colômbia foi desenvolvido pelos ex-presidentes Andres Pastrana (Colômbia) e Bill Clinton (EUA).

Ele envolve treinamento a forças colombianas e provisão de equipamentos para combater traficantes e plantações de coca.

Leia mais sobre: Colômbia

    Leia tudo sobre: colômbia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG