Plano B de resgate de mineiros chilenos chega a 630 metros

Operação pode conseguir retirar trabalhadores presos em mina no norte do Chile no mês de novembro, antes da data prevista

iG São Paulo |

Uma das perfuradoras que trabalha no resgate dos mineiros presos chegou aos 630 metros de profundidade na jazida no norte do Chile, com um conduto de 30 cm de diâmetro que deverá agora ser ampliado, informaram fontes oficiais.

Na quinta-feira o ministro da Mineração chileno, Laurence Golborne, havia precisado que esta é a primeira perfuração, de cerca de 30 centímetros de diâmetro. Após essa etapa, será trocada uma peça da máquina, para que ela retorne à superfície alargando o orifício para 65 centímetros, processo que deve levar "várias semanas".

Embora tenha sido prudente quanto à previsão de prazos, o ministro disse que, se o processo não sofrer contratempos, os mineradores podem ser resgatados no início de novembro. "Os planos de trabalho nos levam ao princípio de novembro. À medida que conseguirmos avançar melhor que o previsto, [os prazos] podem ser encurtados, assim como podem ser alongados se encontrarmos contratempos", explicou.

Enquanto isso, operações do "plano A" conseguiram escavar até 320 metros, mas a máquina, no momento, encontra-se parada para a realização de trabalhos de manutenção. A estimativa, de acordo com o jornal El Mercúrio, é que a atividade seja retomada na segunda-feira.

Na quinta-feira, as equipes de resgate montaram a máquina de 42 metros de altura e 40 toneladas que trabalhará no "plano C". A perfuradora, que começará as atividades na próxima segunda-feira, cava diretamente um duto de cerca de 70 centímetros de diâmetro, ao contrário das outras duas, e pode avançar entre 20 e 30 metros ao dia.

O ministro de Mineração indicou que os 33 mineiros estão em bom estado de saúde e são informados sobre os avanços de seu resgate. Golborne confirmou também que o presidente chileno, Sebastián Piñera, viajará à mina no próximo domingo, por conta dos festejos do bicentenário da independência do país.

Empregos

Nesta semana, mais de 20 companhias com operações no Chile fizeram mais de mil ofertas de emprego aos 33 mineiros durante uma feira.

Mesmo que eles escolham voltar à mineração, o trabalho não necessariamente será no subterrâneo e quase certamente será com uma companhia com um histórico de segurança melhor do que sua atual empregadora, a mineradora San Esteban.

As ofertas vão desde motorista de retroescavadeira, mecânico, eletricista, especialista de redução de risco e escavador para túnel de escape. Os operários receberam 1.188 ofertas de emprego na terça-feira, muitas delas oferecidas no site do Ministério do Trabalho chileno.

Os 33 mineiros estão presos há mais de 42 dias, o tempo mais longo da história, e ainda podem demorar meses até que eles sejam resgatados.

*Com EFE, BBC e AFP

    Leia tudo sobre: chilemineirosresgatemina

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG