PKK rejeita pedido do Iraque de se desarmar ou deixar país

Bagdá, 24 mar (EFE).- O Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) rejeitou hoje o ultimato lançado pelo presidente do Iraque, Jalal Talabani, de depor as armas ou abandonar o Curdistão iraquiano.

EFE |

O porta-voz do PKK, Ahmed Deniz, disse à imprensa local que essa chamada para abandonar a luta armada pode ter "graves consequências".

"Talabani não tem competência para lançar chamadas deste tipo. O PKK não recebe ordens do presidente iraquiano", disse Deniz.

Na segunda-feira, o presidente iraquiano, em entrevista coletiva junto ao chefe de Estado turco, Abdulah Gül - em visita ao Iraque -, disse aos rebeldes curdos para abandonarem as armas ou o país.

Gül, que terminou hoje sua viagem oficial ao Iraque, o primeiro de um chefe de Estado turco em 33 anos, reuniu-se com o primeiro-ministro iraquiano, Nouri al-Maliki, e com o primeiro-ministro da região autônoma do Curdistão iraquiano, Nechirvan Barzani.

Talabani, de origem curda, destacou que a visita de Gül tem especial relevância para "aprofundar nos laços bilaterais em todos os âmbitos e abrir um novo capítulo no marco da cooperação e da coordenação comum", segundo um comunicado do gabinete do presidente do Iraque. EFE am-aj-jrg/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG