PKK nega que combatentes foram mortos em ataques turcos

ARBIL, Iraque (Reuters) - Os rebeldes curdos do PKK no norte do Iraque negaram no sábado as afirmações do Exército turco de que mais de 150 de seus combatentes foram mortos no país em ataques aéreos turcos. Não houve 150 combatentes do PKK mortos. Isso é totalmente incorreto, disse à Reuters o porta-voz do PKK, Ahmed Danees, por telefone via satélite de um local secreto no norte do Iraque.

Reuters |

Ele disse que os ataques aéreos mataram seis rebeldes curdos de uma facção diferente que está lutando no Irã. Os ataques aconteceram perto de uma área onde as fronteiras de Iraque, Turquia e Irã se encontram.

O Exército turco afirmou no sábado que havia matado mais de 150 rebeldes curdos do PKK com uma série de bombas aéreas na quinta e sexta-feiras.

Forças de segurança na região autônoma do Curdistão disseram que não sabiam de nenhuma morte.

'Não estamos sabendo de 150 mortos. Achamos que não havia mortos nos ataques turcos às montanhas de Qandil', disse à Reuters Jabbar Yawar, porta-voz das forças de segurança.

O Exército turco ampliou seus ataques contra o Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) no norte do Iraque, além das operações na Turquia. Tropas turcas realizaram uma incursão em grande escala através da fronteira em fevereiro.

(Por Sherko Raouf em Sulaimaniya e Shamal Aqrawi em Arbil)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG