Pistoleiros invadem clínica e matam 17 pacientes no México

Um grupo de homens armados invadiu uma clínica para recuperação de drogados no norte do México, ordenou que os pacientes se encostassem na parede e abriram fogo, matando pelo menos 17 deles, disseram as autoridades.

BBC Brasil |

Vários outros pacientes ficaram feridos no ataque em Ciudad Juarez, na fronteira com os Estados Unidos, onde 1,4 mil pessoas já morreram neste ano, vítimas da violência relacionada às drogas. Em outro caso de violência, um alto oficial da polícia foi morto no oeste do México.

Jose Manuel Revuelta, vice-chefe da polícia no Estado de Michoacán, foi morto por homens fortemente armados em dois carros, que interceptaram o veículo que ele dirigia. Seus dois guarda-costas e um transeunte também foram mortos.

Michoacán, Estado-natal do presidente Felipe Calderón, é a base de uma das mais violentas gangues de drogas do México, conhecida como "La Familia".

Viciados

As clínicas de recuperação de drogados de Ciudad Juarez já foram atacadas no passado, com traficantes acusando-as de proteger integrantes de gangues rivais. No ano passado, oito pessoas foram mortas em um ataque semelhante.

O ataque de quarta-feira em Ciudad Juarez foi mais um reflexo da violência entre gangues na cidade.

Segundo as autoridades, os homens armados e encapuzados invadiram a clínica, forçaram os pacientes para dentro de um corredor, os alinharam contra a parede e atiraram neles.

Segundo o correspondente da BBC na Cidade do México, Stephen Gibbs, integrantes de gangues criminosas que sabem estar sendo procurados por rivais costumam usar as clínicas como esconderijo.

No início da semana, o ministro estatal da segurança, Victor Valencia de los Santos, disse que as clínicas de recuperação para drogados se tornaram um campo fértil para gangues criminosas.

"Neste tipo de lugar, os cartéis de drogas recrutam jovens de 17 a 23 anos de idade", teria dito ele, segundo o jornal mexicano El Universal.

Milhares de policiais e soldados extra foram destacados para Ciudad Juarez para tentar combater a violência na região, desde que o presidente apresentou um plano de repressão ao tráfico.

Em seu discurso sobre o estado da União, Calderón defendeu a batalha do governo contra as quadrilhas de traficantes. "Como nunca antes, nós enfraquecemos a estrutura logística e financeira do crime", disse Calderón.

Segundo Calderón, sob seu governo, 80 mil pessoas com supostas ligações com quadrilhas de traficantes foram presas, entre elas, 70 chefões do tráfico.

Leia mais sobre tráfico de drogas

    Leia tudo sobre: tráfico de drogas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG