Piratas trocam tiros por resgate e 4 morrem

Nairóbi, 26 jan (EFE).- Quatro piratas somalis morreram a tiros durante uma disputa interna pelo resgate, a bordo do rebocador de bandeira panamenha Yenogoa Ocean, que têm seqüestrado desde 4 de julho do ano passado, informou hoje à Agência Efe Andrew Mwangura, diretor do Programa de Assistência Marítima (PAM).

EFE |

O confronto entre os piratas, que não afetou os dez tripulantes nigerianos do navio, aconteceu no sábado, devido a diferenças de opinião sobre que fazer com o resgate, que seria pago naquele momento, segundo Mwangura.

"O Yenogoa tinha saído de Hawo para Caluula, para receber o resgate, mas o negociador causou um conflito entre os sequestradores e eles começaram a atirar uns nos outros", acrescentou o diretor do PAM.

O navio e a tripulação estão ainda sob controle dos piratas que sobreviveram ao tiroteio e é a embarcação que sofre o sequestro mais longo até o momento por quadrilhas somalis.

Segundo Mwangura, o proprietário do navio, nigeriano, não negociou com os sequestradores e, recentemente, a Embaixada da Nigéria em Nairóbi preocupou-se pelo assunto, após ter sido alertada por uma organização humanitária que seguia o caso.

Os piratas somalis seguem recebendo resgates pelos navios sequestrados, apesar de a comunidade internacional intensificar a vigilância no golfo de Áden e a costa africana do oceano Índico, onde atuam.

Na quinta-feira passada, os piratas somalis libertaram o navio-tanque "Biscaglia", com bandeira da Libéria, após receber um resgate não especificado.

Após esta última libertação, ainda são 15 as embarcações que seguem sob controle dos piratas somalis. EFE pa/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG