Piratas somalis sequestram cargueiro iemenita

Por Daniel Wallis NAIRÓBI (Reuters) - Piratas somalis sequestraram um navio iemenita carregado com aço no golfo de Áden, disseram autoridades na terça-feira, um dia depois da notícia sobre um pedido de resgate de 15 milhões de dólares para a devolução de um superpetroleiro saudita.

Reuters |

Piratas já conseguiram milhões de dólares em resgates neste ano, o que eleva os custos do seguro marítimo e afasta a navegação da área, uma das rotas navais mais movimentadas do mundo, entre Europa e Ásia. Há atualmente cerca de 12 barcos e mais de 200 tripulantes sob o poder de piratas.

A agência de notícias estatal iemenita Saba disse que o MV Adina viajava do porto de Mukalla para a ilha de Socotra (a sudeste do Iêmen), onde deveria atracar no dia 20 com 507 toneladas de aço.

Fontes iemenitas de segurança disseram que as autoridades estão em contato com os piratas, que estariam exigindo 2 milhões de dólares pelo resgate.

Essas fontes disseram que o barco é de propriedade da empresa local de navegação Abu Talal, e que a bordo havia sete tripulantes - três somalis, dois iemenitas e dois panamenhos.

Andrew Mwangura, coordenador do Programa de Assistência a Navegadores da África Oriental, disse à Reuters no Quênia que a embarcação iemenita não fazia contato há quatro dias, e que por isso não se exatamente onde foi capturada.

Há dez dias, homens armados realizaram no nordeste da África o maior sequestro naval da história, ao capturarem o petroleiro saudita Sirius Star com um carga de 100 milhões de dólares em petróleo. Há 25 tripulantes a bordo.

(Reportagem adicional de Mohamed Sudam em Sanaa e Edmund Blair em Teerã)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG