Piratas somalis seqüestram 3 navios em um dia no Golfo de Áden

Nairóbi, 17 dez (EFE).- Dois cargueiros e um iate particular foram seqüestrados na terça-feira por piratas somalis em águas do Golfo de Áden, disse hoje à Agência Efe o diretor do Programa de Assistência aos Marinheiros, Andrew Mwangura.

EFE |

Segundo Mwangura, uma das embarcações comerciais é um rebocador com bandeira da Indonésia que estava prestando serviços à companhia petrolífera Total e a outra é um navio de carga turco.

No entanto, não se sabe, por enquanto, as nacionalidades e o número de tripulantes de ambos os navios.

Sobre o iate privado, o dirigente do SAP informou que haveria duas pessoas a bordo, "mas não se dispõe de mais informação a respeito".

Apesar de os três seqüestros terem acontecido ontem, "não estamos falando de um ataque coordenado", disse Mwangura, mas sim de "células independentes".

A série de seqüestros aconteceu no mesmo dia em que Conselho de Segurança da ONU autorizou o uso de forças terrestres e aviões estrangeiros na Somália, com o propósito de combater a intensa atividade dos piratas que operam contra o comércio marítimo internacional a partir da costa da região de Puntlândia.

A resolução, adotada por unanimidade, permite o uso de "todas as medidas necessárias", tanto por terra quanto por ar, aos países que tenham a autorização do Governo somali para combater estas organizações criminosas.

"A resolução que adotamos nos permitirá avançar de maneira coordenada na luta contra a praga da pirataria", disse a secretária de Estado americana, Condoleezza Rice, em um discurso perante o principal órgão da ONU.

Segundo Rice, os crescentes atos de pirataria são uma afronta ao "princípio de liberdade de navegação dos mares", ao mesmo tempo em que colocam em risco todo o comércio marítimo internacional e alimentam a instabilidade na Somália.

A atividade dos piratas fez com que mais de 80 navios tenham sido abordados neste ano, a maioria nas águas da Somália, dos quais cerca de 20 permanecem sob poder dos seqüestradores. EFE pa/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG