Piratas somalis pedem US$ 35 milhões de resgate por embarcação ucraniana

Mogadíscio, 27 set (EFE).- Os piratas que seqüestraram na quinta-feira em águas da Somália um navio ucraniano com 33 tanques e armamento destinados ao Governo do Quênia pediram hoje US$ 35 milhões para libertá-lo, junto com a tripulação, o maior resgate exigido até agora no tema.

EFE |

A exigência foi feita por um dos piratas, que se identificou como Janune Ali Jama, que se comunicou com uma emissora de rádio somali.

"Exigimos um resgate de US$ 35 milhões, porque temos em nosso poder uma embarcação com precioso equipamento militar a bordo", disse Jama à "Rádio Warsan", que transmite a partir de Bosaso, na região autônoma de Puntlândia.

O ministro da Defesa da Ucrânia, Yuri Yekhanurov, confirmou na sexta-feira que a embarcação de bandeira do Belize e que se dirigia ao porto queniano de Mombaça, transporta 33 tanques T-72, lança-granadas e munição.

Segundo a Chancelaria ucraniana, a tripulação do navio é formada por 17 ucranianos, incluindo o capitão, três russos e um letão. EFE aa/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG